sábado, 13 de junho de 2015

Tetelestai

Eu lembro de uma vez que mudei de escola para uma que era numa periferia longe da minha casa. Minha bolsa de estudos tinha acabado e meus pais não tinham dinheiro para pagar escola particular. Na nova escola os garotos iam armados e eu tinha medo. Aquele foi um ano muito difícil.

Meus pais se mudaram e eu mudei de escola novamente. Eu decidi que naquela escola nova tudo seria diferente. E foi. Consegui ter um bom relacionamento com os novos amigos.

Odeio mudanças. Algumas são melhores que outras, mas todas geram desconforto.

Você sempre acha que já mudou bastante até a vida te oferecer outra atualização. Hoje a vida me convidou a amadurecer novamente.

Durante o show da minha banda favorita eu entendi que precisava deixar pra traz feridas do meu coração. É estranho falar desse jeito mas tinha coisas que eu não poderia continuar levando pra frente. Pessoas, dores, lembranças... coisas que me causavam dor.

E é por isso que eu estou escrevendo hoje. Para amadurecer +1 pouco. O medo simplesmente não pode ser o nosso conselheiro. Ouvi essa frase da Sarah Sheeva essa semana e achei demais!

Estava com medo de ser ou pensar ou agir de um jeito que as pessoas não entendessem e me julgassem mal por isso.

Não vou dizer que gosto de música gospel porque as pessoas vão me achar religioso demais... Não vou ser sincero com essa pessoa porque ela não vai gostar mais de mim... Não vou contar o que está acontecendo comigo porque as pessoas podem usar mal essa informação.

Acho que o medo faz parte da vida mas tem uma hora que você não pode ser mais refém dele. Isso tem que parar.

Tetelestai fala sobre isso. Significa "está consumado". Adoro essa expressão, pois ela diz que o preço da dívida já está pago. Quero viver assim agora: como alguém que não tem dívidas.

Vou ser mais sincero com quem estiver perto. Vou expressar minha opinião e vou rir sempre que tiver vontade.

Um amigo querido chamado Gustavo Bessa me fez pensar sobre isso tudo hoje. Quero ser alguém melhor.

Super até breve.

Nenhum comentário: